Metamorfoseando versão capitalismo tardio

Nhami

Quando hoje de manhã Franz Kafka acordou de sonhos intranquilos típicos do post-mortem, encontrou-se metamorfoseado em uma generosa kafta de carne de boi recheada com queijo coalho.

Segundo o app do Ifood, em cerca de 20 minutos ele ficará pronto para ser enviado via delivery para alguém que gosta de comida árabe e é um early almocer.

Franz Kafka, agora só Kafta, vai acompanhar um prato com arroz com lentilha e cebola, patê de grão de bico e um pouco de tabule. Com os neurônios já bem moídos, ele só espera que seja rápido e que renda uma nota 5 para o restaurante. Talvez também para o entregador, se na corrida ele não acabar se misturando com os demais componentes do prato.

Ao ser embalado junto aos outros itens no marmitex, ele cogita que é bom pensar na possibilidade de ser digerido por alguém lendo “O processo”.

Se você gostou desse texto, deixe um comentário, compartilhe com seus amigos, conheça meu Apoia.se e me acompanhe também pelo meu MediumFacebookTwitterTinyletter e Instagram.

Publicado por

Thaís Campolina

O que falta em tamanho sobra em atrevimento. Isso foi dito sobre um galinho garnisé numa revista Globo Rural dos anos 80, mas também serve pra mim.

Um comentário sobre “Metamorfoseando versão capitalismo tardio”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s