Sola Fiedler, a artista têxtil que retrata cidades

Sola trabalhando na tapeçaria Vancouver

Miami, Atlanta, Las Vegas, Sydney e Vancouver foram transformadas em bordados enormes e hiper realistas pela artista Sola Fiedler. Os trabalhos de Sola são verdadeiros retratos feitos ponto por ponto e representam a cidade homenageada no tempo em que a artista esteve lá. Detalhes como o número de janelas de cada prédio, por exemplo, são observados por ela. Ela considera que isso possibilita que as pessoas se conectem com as tapeçarias, já que esses pormenores permitem que as pessoas observem a imagem formada pelas linhas e encontrem onde moram, onde trabalham e outros lugares que carregam significados pessoais.

Para retratar uma cidade é preciso mostrar sua arquitetura e as características físicas que fazem parte de sua paisagem e as relações humanas que acontecem naquelas ruas, prédios, praças e casas. São os detalhes que fazem a parte humana se tornar visível, já que são eles que possibilitam os moradores da cidade visualizarem suas histórias ali.

Tapeçaria Vancouver

Sola captura os elementos que compõem uma cidade através da observação e dedicação. Ela procura um local perfeito onde dê para visualizar toda a cidade e se imagina num helicóptero ou como uma águia e sobrevoa a cidade em busca do que irá retratar. Depois, ela anda e observa suas características. Percorre ruas e repara em cada construção e em cada árvore que encontra no caminho, às vezes tem que voltar em locais que já foi para analisar melhor. O processo dura cerca de dois a três anos.

Sola Fiedler nasceu em 1936 e cresceu em Londres durante e depois a Segunda Guerra Mundial. Nesse período, a reciclagem e a reutilização eram essenciais, já que a escassez fazia parte do cotidiano. O hábito que fez parte dos seus primeiros anos nunca a abandonou e seus bordados são feitos com fios de roupas que ela coleta, o que torna sua obra ainda mais única.

Seu lado artista só foi se manifestar de verdade após os quarenta anos. Antes disso, ela trabalhou no Canadá como pesquisadora científica e foi proprietária, junto com seu ex-marido, do The Riverboat Coffee House em Toronto. Esse café fechou em 1978, mas ainda hoje é lembrado por sua importância para a música folk. Músicos como Neil Young e Joni Mitchell se apresentaram por lá. Após se separar, ela se mudou para Vancouver e abriu o Soft Rock Café.

Seu trabalho artístico já foi premiado no Canadá e suas peças foram expostas em galerias. Além das cidades, ela faz peças abstratas, outras paisagens e fez uma adaptação da bandeira do Canadá.

Sola trabalhando

O bordado e outras formas de artes têxteis foram desvalorizados por muitos anos por serem vistos como femininos, mas há um fenômeno mundial de resgate, valorização e modernização dessas técnicas e temas e esse processo caminha junto com a recuperação de histórias de mulheres notáveis e de reconhecimento das mulheres num todo. Sola Fiedler é um dos nomes que merecem ser conhecidos. Por isso, tentei escrever aqui um pedaço de sua história e um pouco sobre suas lindas peças.

Tapeçaria Sydney

Saiba mais sobre ela em seu site oficial e assista ao vídeo sobre o processo criativo de Sola através do Vimeo. Acompanhe o trabalho dela também no Facebook e Instagram.


Se você gostou desse texto, deixe um comentário, compartilhe com seus amigos e me acompanhe pelo Medium, Facebook, Twitter, Sweek, Wattpad, Tinyletter e Instagram.

Publicado por

Thaís Campolina

O que falta em tamanho sobra em atrevimento. Isso foi dito sobre um galinho garnisé numa revista Globo Rural dos anos 80, mas também serve pra mim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s